sexta-feira, maio 26, 2006

Os milhões de euros dos lobos

http://ventor.com.sapo.pt/page7.htm A edição de domingo do Público apresentava, na primeira página, como título da notícia com maior destaque, "Alcateia de lobos obriga a gastar mais 100 milhões de euros em auto-estrada". No desenvolvimento da notícia, explicavam-nos que, para permitir a circulação de uma alcateia com sete lobos, se tinha desviado o traçado previsto para a A-24, entre Viseu e Chaves, alteração que tinha provocado esta derrapagem no custo da obra. A reportagem mostrou-nos também o que classificaram como "inconformismo" do Presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, concelho onde se localiza o sítio que se decidiu proteger. Domingos Dias, assim se chama o autarca, ficou "inconformado" porque o PIDDAC apenas prevê 6015 € para Vila Pouca de Aguiar, "não chega para pagar um jantar ao senhor ministro" mas, para os lobos, cem milhões! Um verdadeiro exagero ambientalista, na sua opinião.
Quando li a notícia, fiquei, por momentos, confuso. De facto, postas as coisas nestes termos, tão pouco dinheiro gasto com as pessoas e tanto desperdiçado com o bem estar dos lobos... De sete lobos, apenas!... Mas, logo a seguir, acordei: mas que disparate é este?! Tirar dinheiro às pessoas para o gastar com os lobos?! Que raio de perspectiva é esta?! Faz lembrar aquela frase (recorrente cá pela Covilhã): "o futuro não pode ser hipotecado aos interesses da lagartixa de montanha" (ver o artigo Ich bin ein Lacerta Monticola!)...
A ver se me explico:
  1. Domingos Dias quer que acreditemos que ele acha que se os cem milhões de euros tivessem sido poupados, sacrificando-se a alcateia, ficariam disponíveis para investimentos em Vila Pouca? Que investimentos seriam esses? Mmmm, venha daí um mini-Polis para embonecar a vila?
  2. O que está em jogo não são só os lobos, são também as pessoas. Protegem-se os lobos não pelos seus direitos, mas pelos das pessoas. Acho que temos o direito a um país com um ambiente natural preservado. Não quero um país totalmente sacrificado aos mamarrachos com que os senhores autarcas costumam entusiasmar-se. Estou cansado de ver as cidades crescerem irracionalmente, deixando uma terra de ninguém deserta nos seus centros históricos e uma terra de ninguém apinhada de prédios horrorosos, shoppings, vias rápidas e viadutos nas periferias, desenhadas a pensar (?) apenas no trânsito automóvel, esquecendo o dos peões, esquecendo as pessoas. Só pelo que permitiram nas cidades deste país, devia ser proibido aos autarcas falar de "exageros ambientalistas", por uma questão de decoro.
  3. Já se terá o sr autarca perguntado porque é que são tão poucos os lobos desta alcateia? O que é que ele poderá fazer para aumentar o seu número?
  4. Já terá o sr autarca pensado em formas de capitalizar mais valias para o seu concelho e as suas populações com esta alcateia de lobos? Olhe, eu sei de muita gente que estaria disposta a pagar para observar lobos em liberdade. Tente arrancar uma parceria com o Instituto de Conservação da Natureza, no sentido de proteger os lobos e aumentar a sua população, pode ser que venha a ser possível o turismo ambiental apoiado (não só, mas também) nos lobos.
  5. Saibam todos os autarcas deste lugar que se autointitulava jardim à beira mar plantado, que sinto todo o milhão de euros gasto na protecção ambiental, na defesa da lagartixa de montanha, do lobo, do lince, das florestas autóctones, da linha de costa, etc, etc, etc, como um milhão de euros gasto na minha particular pessoa. Saibam que agradeço esses investimentos, que gosto de ver os meus impostos assim aplicados e que me sinto fortemente inclinado a votar em autarcas (e demais governantes) que defendam esses gastos.
  6. Finalmente, temos que reconhecer que esta deve ser a derrapagem orçamental em obras públicas menos obscura de sempre, não?

A foto que ilutstra este post não é minha. Não sei quem a tirou. Encontrei-a com o google image, copiei-a do site http://ventor.com.sapo.pt/page7.htm. É espectacular, não é?

10 comentários:

al cardoso disse...

Concordo contigo plenamente, e ate pergunto se se tivesse feito um estudo melhor nao se teria encontrado uma solucao menos dispendiosa? Provavemte sim!

Saudacoes serranas

ljma disse...

Bom dia, al (ou boa madrugada, aí em New Jersey).
Essa parece ser também a opinião do director Instituto de Conservação da Natureza, "que diz que o problema reside nas SCUT, lançadas à pressa sem acautelar riscos".

ljma disse...

PS matinal: acabo de fazer uma pesquisa rápida sobre este assunto no google, e encontrei este e mais este artigos de Rui Ângelo Araújo, nos Canhões de Navarone. Como RAA, também eu não gostei nada do tratamento que o Público deu à notícia. Já agora, leitura puxa leitura, e quero dizer que gostei muito do que li nos Canhões de Navarone.

tone disse...

Apenas para dizer: sem dúvida espectacular, essa foto!

João disse...

Amigo José, a questão dos Lobos, é algo que apaixona a minha alma verdadeiramente, a Montanha tem andado um pouco parada(politicas), como já deve ter reparado, mas congratulo-me por questões que nos são tão comuns, continuarem afirmativamente a ser debatidas e divulgadas, para que perdoem-me o elitismo, esta "nossa" forma de ver as coisas seja cada vez mais perceptível a todos, mais ainda envolvi-me no poder local isso anda efectivamente a condicionar a minha presença Bloguista, Um abraço e já agora acredito plenamente em corredores ecológicos, já que é a única solução para que um animal como o Lobo que necessita de uma vasta área, possa efectivamente com o seu regresso a todas as serranias do interior do país, ser o sinal não do abandono ou da desertificação, mas sim o de um interior que se afirma por si só, nas suas potencialidades e recursos naturais como forma de colmatar a vergonhosa assimetria em termos de qualidade de vida entre o Litoral e Interior

ljma disse...

João, pode estar um pouco menos activo nos blogs (há vida fora da internet!), mas continua bem atento ao que se passa. Um abraço!

Tiago P disse...

Devo dizer que como amante da Natureza, tenho especial paixão pelo lobo ibérico!Foi há cerca de 7 anos que ouvi a primeira palestra do Grupo lobo no Porto. O prof. Francisco fez uma palestra super cativante!Parecia que ele próprio com as suas enormes barbas e fisionomia esguia incorporara o fascinio dos próprios lobos. Desde aí, e tambem pela minha formação ambiental, passei a acompanhar com muito mais atenção a situação do lobo iberico em Portugal; descobri, ou melhor tomei conhecimento (atenção ao plágio) da existencia do Centro de recuperação do lobo ibérico em Mafra e "adoptei" uma loba. Aconselho vivamente a visita deste local onde os lobos em recuperação dispõe de um cercado com vários hectares para viverem. Ver este animal em condições de quase liberdade é dificil mas a recompensa é grande!Alturas do ano mais frescas aumentam a probabilidade de ver um lobo junto ao cercado. Os meus verdadeiros parabens e agradecimentos a todo este grupo que mantem acesa a possibilidade de ainda existerem animais destes em Portugal!! visitem e "adoptem" um lobo.
Para mais info ir a http://lobo.fc.ul.pt/

ljma disse...

Boa ideia me deste para um fim de semana com os meus filhotes, Tiago. Obrigado.

Tat Wam Asi disse...

A foto é excelente. linda. Mas as tuas palavras tambem. Pena as pessoas responsaveis terem uma visão limitada. O Lobo é um animal essencial ao nosso meio selvagem. É um superpredador. O outro o Linçe, já o matamos. Esperemos que o nosso amigo se aguente.

Abraço

ljma disse...

Oxalá! E já agora, que os esforços dos nuestros hermanos aqui junto à fronteira consigam manter a sua população de linces. Que tiveram alguns sucessos, recentemente, na reprodução em cativeiro. (Trata-se já de uma espécie demasiado ameaçada para nos podermos permitir o luxo de deixar a "natureza", "sózinha", fazer o seu trabalho... Isso fizemos nós, cá em Portugal, com os resultados que se viram...)

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!