quinta-feira, novembro 09, 2006

FAQ

Ainda a propósito do projecto "Um milhão de carvalhos para a Serra da Estrela", aqui fica uma lista das perguntas que me colocava a mim próprio ainda há um mês e meio, bem como das suas respostas.

Como são os carvalhos-negral (Quercus Pyrenaica)?
São árvores de folha caduca, não muito grandes (~20m máx.), por vezes parecem apenas arbustos. Na figura ao lado mostro um exemplar, ainda jovem (clique na imagem para a aumentar). As folhas têm uma pilosidade, como veludo, na face inferior. A figura no início deste post mostra as folhas do carvalho-negral, agora já ligeiramente afectadas pelo amarelecimento do outono.
Onde posso encontrar carvalhos-negral perto da Covilhã?
Árvores isoladas há-as por todo o lado. Mesmo dentro da Covilhã, há uma muito perto da rotunda da Residencial de Santa Eufémia. Há um bosque grande na encosta entre S. Domingos e o Canhoso. Há varios carvalhos na zona do aeródromo e alguns ao longo do circuito de manutenção. A verdade é que ainda é uma árvore muito comum na nossa região. É frequente vê-los a estabilizarem socalcos ou a servirem de fronteira entre terrenos agrícolas.
Como são as bolotas?
Como se pode ver na figura (o círculo brilhante é uma moeda de um euro).
Como se eliminam as que estão estragadas?
Pois, não sei. Como para as castanhas, uma bolota com um buraquinho na casca é uma bolota que já foi abandonada pelo bichinho. Imagino que a maior parte destas não sirva. Outro critério é o da flutuabilidade: bolota que fique à superfície da água pode deitar-se fora. As que não tiverem buraquinho e não flutuarem, em princípio, poderão germinar. Ou não. Mas, pelo que diz o caçador de árvores Pedro N. T. Santos do A Sombra Verde, nem é muito difícil que a coisa funcione...

Pode ver mais imagens e um texto descritivo (em castelhano, galego e inglês) aqui.

5 comentários:

pedro n. t. santos disse...

Obrigado pela referência como o "caçador de árvores", já hoje dei uma boa gargalhada à conta disso!Tenho de facto muita pena de não poder estar aí a colaborar directamente com a campanha mas trabalho a quase 500 km!!Adorei a historia do javali e gostava de saber se por acaso já encontraste pinhas roídas ou se já viste mesmo esquilos pela nossa serra?
Abraço e bom fim-de-semana

ljma disse...

Pedro, a pergunta que fazes sobre se já vi esquilos na serra parece uma daquelas que os orientadores de doutoramento combinam com os seus orientandos na véspera da defesa da tese. A resposta é esta.

João disse...

José o que é que eu hei-de dizer, Pedagogia pura e da boa, excelente...5 Stars, um abraço amigo. Este ano fui surpreendido pelos mancebos da Aldeia que organizam o tradicional Madeiro de Natal, em que alguns me disseram que se recusavam a cortar qualquer árvore a não ser que lhes desse hipótese de plantar uma no seu lugar.

pedro n. t. santos disse...

Fiquei contente com a resposta à minha pergunta de doutoramento...e por ver esquilos na nossa Estrela!

ljma disse...

Eh, João! Esses é que são mancebos como deve ser! E não me cumprimente a pedagogia, que disso faz o João muito mais e muito melhor com o Montanha. Bom fim de semana!

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!