quarta-feira, abril 19, 2006

42% dos vertebrados em perigo

Hoje no Público li a notícia de que segundo um estudo levado a cabo por mais de 180 especialistas, 42% das espécies vertebradas em Portugal correm risco de extinção. As razões apontadas para este facto são "a destruição, a fragmentação ou a deterioração dos habitats. As redes viárias, a urbanização, os incêndios, as barragens no caso dos peixes e as transformações na agricultura". Vou repetir: "a destruição, a fragmentação ou a deterioração dos habitats. As redes viárias, a urbanização [...]".

Uma vez que é a "ordem natural" das coisas que as espécies se extingam, uma vez que não se pode hipotecar o futuro (seja lá o futuro o que for) em nome da lacerta monticola, só podemos estar no bom caminho, com todas as urbanizações projectadas pela Turistrela e defendidas pela Câmara da Covilhã e pela Região de Turismo da Serra da Estrela, mais todos os teleféricos, parques de estacionamento e ampliações da estância de esqui, bem como todas as estradas (umas ditas Verdes, outras com nomes menos charmosos mas igualmente indispensáveis e amigas do ambiente) que autarquias e Accção Integrada de Base Territorial da Serra da Estrela projectam e fazem construir.

A bem do Futuro!

[A foto que ilustra este artigo não está muito nítida porque foi tirada com o zoom digital da minha câmara. Não sei que ave é esta (agradeço esclarecimentos) nem sei se está em extinção.]

3 comentários:

Blog Cortes do Meio disse...

Projecto LIFE
1,25 milhões de euros para conservação de habitats na Serra da Estrela

O Projecto LIFE-Natureza vai permitir o investimento de 1,25 milhões de euros no Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE), verba destinada à gestão e conservação de habitats prioritários ou principais.
O projecto vai ser gerido pela Associação de Produtores Florestais de Paúl (APFPaúl), cujo presidente, António Covita Batista, informou que a prioridade no parque será a atenção sobre os habitats prioritários ou principais.
A iniciativa é financiada em 75 por cento pela União Europeia (UE), onze por cento pela APFPaúl e 14 por cento pelos restantes parceiros no projecto - Instituto de Conservação da Natureza/PNSE, Direcção Regional de Agricultura da Beira Interior (DRABI), Universidade de Évora, Conselho Directivo dos Baldios de Cortes do Meio, Junta de Freguesia de Unhais da Serra (Covilhã) e Vale Pastor-Sociedade Agrícola Serra da Estrela.
Designado por "Serra da Estrela: Gestão e Conservação de Habitats Prioritários", o Projecto LIFE visa a recuperação e conservação de oito tipos de habitats principais caracterizados pela existência de comunidades biológicas, com grande diversidade de espécies vegetais e animais.
Pretende ainda chamar a atenção do público para a importância, sensibilidade e riqueza natural dos diferentes habitats existentes na zona, num total de 600 hectares que, segundo António Covita Batista, foram dizimados nos últimos cinco anos por incêndios florestais.
Os restantes LIFE-Natureza, aprovados pela Comissão Europeia no início de Julho deste ano, vão aplicar-se à protecção de aves pernaltas no Alentejo, preservação em diferente zonas do país de oito espécies de flora em risco de extinção e recuperação de populações do Falcão Peneireiro das Torres.

In http://ecosfera.publico.pt/noticias/noticia1758.asp

Sabia disto?

Desde 2002, sentiu a presença e a intervenção do projecto Life?

Nós não.

ljma disse...

Obrigado por mais esta dica! Não fazia a menor ideia da existência deste projecto concreto. Devo dizer que também não sinto o mais leve vestígio dos seus efeitos. Isso não quer dizer que eles não existam, ou que não sejam significativos. Mas lá que parece outra coisa, parece. Não sei. É algo de que já acusei o PNSE: quase não se nota, a não ser quando aparece para atrapalhar... Por essas e por outras é que é possível às forças vivaças apresentá-lo como uma força de bloqueio, motivada por "fundamentalismos mais ou menos encobertos".
Mais uma vez obrigado. Bom trabalho e força para o blog cortes do meio!

Blog Cortes do Meio disse...

Obrigado pelo incentivo.
Somos assíduos leitores do Cântaro Zangado. Como diria o nosso caro professor Marcelo Rebelo de Sousa; para o Cântaro Zangado, 20 valores.

Cumprimentos.

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!