quarta-feira, fevereiro 11, 2009

Sombras e luz

4 comentários:

Cova Juliana disse...

Creio que esta foto espelha o sentimento com que hoje li a notícia que vinha no Diário XXI, intitulada "Associação propõe alargamento de estrada"...

...deixou-me um pouco (bastante) baralhado...

ljma disse...

Olá, Cova Juliana
Quando tiver um pouco de tempo hei-de fazer um post sobre isso.

A questão é que a Estradas de Portugal tem planeado fazer uma beneficiação daquela estrada em breve. O que a ASE fez foi adiantar-se a uma eventual intervenção pouco sensível, propondo o alargamento em um metro apenas (penso que há um erro na notícia, eventualmente por uma escolha errada de palavras por parte do Ze Maria, que refere "pelo menos um metro" quando o que deveria estar é "no máximo um metro") no lado da encosta, mantendo a sinuosidade da estrada, sem qualquer viaduto, nem muros em cimento, com o maior cuidado com a paisagem mas permitindo que dois autocarros se consigam cruzar sem terem que fazer, como agora acontece em vários troços da estrada, longas marchas atrás.

Ao contrário do que se passa com a estrada Unhais Nave de Sto António, com a Estrada de S. Bento, com a estrada "verde" ou com uma estrada entre as Cortes do Meio e as Penhas, esta estrada existe e está asfaltada há mais de quarenta ou cinquenta anos.

Se me dizes que o vale (e a serra em geral) ficavam melhor sem a esta estrada (e sem as outras para os turistas subirem de carrinho à Torre), eu concordo contigo. Estou cansado de dizer que o turismo de montanha não deveria estar tão baseado na visita rodoviária, que devia haver menos estradas de asfalto e mais trilhos pedestre. Mas entre ver uma intervenção à "modernaça" (tipo estrada de S Bento) transformar a estrada do vale glaciar do Zêzere numa espécie de via rápida de montanha, com viadutos e grandes taludes obrigando-nos a protestar a posteriori contra a aberração que se fez, entre isso e tentar desde o início que essa intervenção seja o mais equilibrada e respeitadora do ambiente e da paisagem possível, a ASE teve poucas dúvidas.

Quanto a novas estradas, a posição na ASE não é homogénea. Há na associação quem seja favorável a algumas das novas estradas que referi acima. Eu não. Tanto quanto consigo imaginar agora, sou contra qualquer novo m2 que seja de asfalto na serra. Mas a opinião da ASE não é só a minha. Apesar desta (e de algumas outras) diferenças de opinião, sinto-me bem na ase e acho que ela desempenha um papel muito positivo na serra

Abraço

PS: não há vacas sagradas e mesmo que as houvesse, a ASE não seria uma certamente. Nada está acima da crítica, da discussão, haja ou não acordo no final.

Rotiv disse...

Ainda não vi a notícia em causa, vou ver... mas deixo aqui este alerta...clicar em Rotiv e ler o comentário, Uma Solução para a Estrada do Vale do Zêzere - ASE

francisco t paiva disse...

Sublime.

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!