sexta-feira, janeiro 09, 2009

São precisas ainda mais estradas?

Página 6 do Diário XXI de hoje (clique para tornar legível). Chamo a atenção para a caixa assinalada a azul no canto inferior direito.

O novo hotel termal em Unhais da Serra tem vários aspectos que me agradam e muito: foi construído numa localidade (das verdadeiras, onde mora gente, não incluo aqui as "minicidades" como as Penhas da Saúde); houve cuidados ambientais na construção e continuarão durante a sua exploração (as certificações que anunciam obrigam a tal); houve desde o início a preocupação de manter elevados padrões de qualidade; foi dada formação à população; tem havido desde o início um grande enfâse nas referências ao turismo de natureza (e Unhais da Serra tem uma localização soberba para esse segmento). Por estes aspectos, este empreendimento está a anos-luz daquilo a que nos têm habituado investimentos similares na serra da Estrela (felizmente há mais alguns, mas poucos, bons exemplos) e por isso espero que o empreendimento seja um grande sucesso.

E, no entanto, desde o início há um "pequeno" pormenor que me incomoda. É que tenho a impressão (que já foi várias vezes confirmada por terceiros) que a asfaltação do estradão de terra Unhais - Nave de Santo António pelo Vale da Alforfa está, de algum modo, ligada a este novo hotel. Esta impressão sofreu um novo reforço ao ler a notícia que reproduzo na figura.

Os "melhoramentos" no estradão foram feitos, há já alguns anos (já terão passado dez anos?), de forma completamente desastrada, em pendentes de grande inclinação, sem qualquer cuidado com a estabilização dos taludes, de tal modo que em muitas zonas da área intervencionada encontramos actualmente grandes blocos graníticos (alguns do tamanho de automóveis) na faixa de rodagem, que rolaram encosta abaixo. Assim, apesar de faltarem apenas não mais do que dois quilómetros para completar a asfaltação, aposto que serão necessárias obras profundas em quase todo o trajecto (com cerca de 12km de extensão total).

E tudo isto para quê? Para que mais um vale fabuloso seja facilmente atravessável de automóvel, tornando-o menos fabuloso, logo, menos atractivo para outras práticas que, segundo se afirma, se querem incentivar: passeios pedestres ou a cavalo, interpretação da natureza, admiração da paisagem. E para que também no novo hotel se possa, fácil e comodamente, fazer o tipo de turismo que, supostamente, se pretende ultrapassar: o das voltinhas automobilizadas serra acima, a ver a neve.

11 comentários:

Anónimo disse...

Sr. cantaro zangado cá estou eu no seu blog depois de ver as suas afirmações á minha pessoa no blog "Estrela no seu melhor"para poder aqui tambem demostrar o meu desagrado por ainda existirem parasitas como o sr. pelas nossas terras.
O senhor assim como o seu compincha do blog "Estrela no seu melhor" deviam ponderar o que dizem pois nao teem qualquer conhecimento de tais afirmações.
Para seu conhecimento a estrada de Unhais da Serra - Nave de Santo António à muito que e percorrida por veiculos precisando esta de uns melhoramentos, nao vindo estes com certeza a prejudicar o ecosistema ou a paisagem.
Prejudicada fica sim, quando jumentos como o sr. se fazem passear pela mesma estragando desde logo toda a paisagem.
Com os melhores cumprimentos de um UNHAENSE

ljma disse...

UNHAENSE, bem vindo ao meu (e do Tiago) blog.

Lamento desagradá-lo com o que considera ser a minha parasítica existência "pelas nossas terras" (que as sinto minhas também).

Juro que não pretendi ofendê-lo. Pode explicar o que é que considerou ofensivo nas palavras que deixei no "Estrela no seu melhor" (e note que vêm no seguimento de um comentário seu em que acusa, no tom ostensivamente insultuoso que usou também aqui, o Cova Juliana de fabricar notícias e fotografias)?

Eu sei que a estrada Unhais Nave é percorrida há muito tempo por veículos. Aquilo de que falo neste post não é de uns pequenos "melhoramentos", é de uma asfaltação. Que conhecimentos "de tais afirmações" são esses de que careço?

Quanto a estradas de asfalto prejudicarem ou não a paisagem, está mais que visto que o UNHAENSE tem uma opinião diferente da minha. Tem todo o direito a tê-la e a afirmá-la. Mas nós, os jumentos, também temos o direito a ter a nossa e, igualmente, a defendê-la. Foi o que fiz neste post.

Desculpe franqueza mas o seu tom parece ser o de quem considera que não vale a pena discutir connosco, que o melhor era despachar-nos para outras terras que não as "nossas terras". Se de facto assim pensa (e está no seu direito), está a cansar-se em vão aqui no Cântaro Zangado porque não terá troco da nossa parte. Se, pelo contrário, pretende discutir (ou seja, trocar argumentos tentando convencer os outros da justeza das nossas opiniões), seriamente, os nossos pontos de vista, sinta-se aqui em sua casa!

Saudações, vá aparecendo!

José Amoreira

Anónimo disse...

Tem um certo vocabulario como os srs. que andaram a estudar para ser "padre" e mais tarde reflectiram e viram que nao tinham devoçao, mas com essas palavras mansinhas nao consola ninguem.
Cada um tem a sua opiniao e os outros podem gostar ou nao, mas tenho a registar que 90% dos seus tristes comentários deixam qualquer cidadão comum um tanto ou quanto fora de si.
Só gostava de saber qual será a sua terra e qual a sua influência para bem da mesma.Com certeza que nenhuma, pois pessoas como o senhor so servem, nao para ajudar mas sim para distabilizar.
Diga-me o sr. o que tem ganho assim como o seu companheiro com estes recortes de "jornal" falhados? sim que os Srs. nao devem fazer mais nada se nao indicar tudo o que essas cabeçinhas brilhantes acham de errado!!!
Tenham comentários ou afirmações construtivas pode ser que muita gente começe a ver-vos de maneira diferente...e a dar-vos um pouco de atenção!
PS.dando resposta a uma pergunta sua deve haver algum engano nao fui eu quem "acusou" o sr. ou o sr.do blog "estrela no seu melhor" de fabricar fotos e noticias.Deve ter sido mais algum cidadão descontente com os vossos prestimos!!!
Um abraço deste filho da terra "UNHAENSE"

Clara disse...

Unhaense,
Quer-me parecer que assenta o seu argumentário na distinção entre "pessoas da terra" e "pessoas de fora", não é verdade? Que os primeiros querem o bem da "sua" terra enquanto os outros desejam prejudicá-la.

Veja lá se qualquer dia, na linha de um autarca visionário cá da terra, começa a achar que uns são mais competentes que os outros... Ou, sabe-se lá, que uns são mais bonitos ou têm mais direito a viver que os outros...

Talvez fosse bom tentar ver um pouco além desse atávico bairrismo, que é o melhor exemplo do subdesenvolvimento mental de alguns dirigentes desta região.

Sabe, por exemplo, que há uma tribo índia quase extinta que chega a conceber, imagine, que a terra é "sua" por empréstimo dos seus filhos?

Anónimo disse...

amiga Clara, desculpe tratala assim, mas espero que não se importe.
Com respeito aos INDIOS, eu sou a favor de toda a gente e sem descriminação por ninguem, e toda a gente merece ter o que julga ser seu, mas nós em Portugal já estamos habituados a haver defensores de tudo e de nada.
Com respeito que me merece o seu comentário, bem como o do senhor Cantaro zangado, em Unhais da Serra, estamos bem servido quer da Autarquia, quer das pessoas responsáveis por esta bela terra, ou será que faz inveja à vossa? È pena que quando se faz um comentário sobre qualquer coisa seja qual for devemos inteirar-nos minimamente das situação, pois se calhar não sabem que a estrada para a Nave de Santo António, foi obra da Camâra Municipal da Covilhã, e que esta entidade,mandou de facto "asfaltar", o piso até à zona do canal, o que a Camâra não devia era ter recebido a obra como lha entregaram, visto que a Firma ADRIANO, não fez os trabalhos com o devia, senão certamente não estariam aquelas pedras todas na estrada,pois apesar de um pouco irregular toda a gente por lá vai passando, e é pena porque se vocês já por lá passaram verificaram que não existe paisagem mais bonita, em redor da nossa serra, e é pena que nem toda a gente desfrute de tal beleza natural e vocês no vosso blogue ainda não fizeram qualquer reparo de tal situaçao Se não passaram passem e disfrutem deste belo vale glaciar. Com amizade e sempre pelo melhor da minha terra "O UNHAENSE"

ljma disse...

UNHAENSE,
Não respondi ao seu anterior comentário porque não vi nada a que pudesse responder. O UNHAENSE tem todo o direito de não gostar de nós e de o afirmar aqui, as vezes que entender mas, como já disse, não pretendo manter discussões sobre o tom que uso, sobre a terra onde moro, sobre a minha ignorância ou sobre os meus inconfessáveis motivos.

Mas agora o UNHAENSE parece afirmar que nós no "nosso blog" não damos valor à paisagem do vale da Alforfa! Não vou contar as inúmeras fortografias que já aqui apresentámos do vale e do seu entorno, nem o número de vezes que já nos referimos à maravilha que é o vale. Basta ler o artigo a que pertencem estes comentários, onde digo "tem havido desde o início um grande enfâse nas referências ao turismo de natureza (e Unhais da Serra tem uma localização soberba para esse segmento)". Não lhe parece que, quando refiro a soberba localização de Unhais da Serra para o turismo de natureza, me estou a referir também e muito especialmente à magnífica paisagem?

E a questão é mesmo essa: como acho magnífica a paisagem e o ambiente do vale da Alforfa, gostava de a ver preservada de uma estrada que não vai trazer nenhum dos benefícios com que se justifica a sua construção, mas trará malefícios que facilmente se prevêm: carrinhos a atascarem-se nos engarrafamentos daqueles dias de Inverno, gastos na limpeza da neve e no ordenamento do trânsito pela GNR, lixos vários nas bermas da estrada, atropelamentos de animais (recordo que se trata de um parque natural), maior dificuldade em fazer nascer negócios viáveis de turismo de natureza (ou acha que muita gente vai pagar por um passeio a cavalo até um sítio onde facilmente se chega de carro?).

Unhais está a ser o palco de uma grande experiência, de uma aposta em grande escala num turismo de qualidade numa região periférica e algo deprimida, diferente de tudo o que até agora tem sido feito na região. O que está a ser feito em Unhais ditará os parâmetros de investimentos similares não só no nosso país mas também no estrangeiro. É um investimento de uma enorme coragem e por isso estão de parabéns a Imobiliária Brancal, mas também a Câmara da Covilhã (por ter desencadeado o processo) e, imagino, a Junta de Freguesia de Unhais. Com tudo o que este projecto tem de moderno, de futurista, de revolucionário, não havia necessidade da estafada aposta no turismo das voltinhas de carro a caminho da Torre, não havia necessidade da asfaltação do velho caminho de terra Unhais da Serra - Nave de Santo António.

Mas esta é apenas a minha opinião. Admito que o UNHAENSE tenha uma opinião diferente da minha. Não sinto vontade de o insultar nem, sequer, a de o desvalorizar por causa disso.

Saudações

PS: Qual a relevância, para o assunto da utilidade da estrada, dos detalhes que apresenta sobre a firma que realizou os anteriores trabalhos de asfaltação?

ljma disse...

UNHAENSE, só mais uma coisa.
Esta estrada (como as outras) não é necessária para se desfrutar desta beleza natural. Esta estrada, como as outras, é necessária apenas para se poder circular, de carro, por esta beleza natural.
As duas coisas são muito diferentes. Há até quem diga que de dentro de um automóvel em movimento não se desfruta verdadeiramente de coisa nenhuma.

Saudações

Anónimo disse...

ola sr.LJMA o meu comentário nao carecia de qualquer resposta sua mas era sim uma resposta a sua resenha!!!
A respeito da asfaltação da estrada explique-me o sr. se arranjar argumentos, quais as maiores valias para a bela vila de UNHAIS DA SERRA estando a estrada nas condições em que se encontra? sim porque se nao tiver um carro todo o terreno ou conhecer bem a estrada dificilmente arriscara passar nela!!!
Não vejo tambem qual a diferença ja que o "trilho" esta feito poder receber os melhoramentos necessários para a utilização da mesma, pois isto é como ter uns sapatos novos e não servirem!
Convença-se o sr. que a Perola da Beira não podera desenvolver nem ter o avanço necessário sem este complemento,qual a vantagem que o turista tem de estar a pernoitar em UNHAIS e ter de passar pela Covilha percorrendo o dobro dos kilometros para chegar ao Maciço central !!?
Já imaginou quantos turistas chegariam à Torre se estas estradas não existissem,ja que se mostra contra a asfaltação desta deve com certeza estar contra as outras que nos levam ate lá em cima!porque para a solução que o sr. apresenta "passeios a cavalo",não sei encontra 10% da população, atirando por cima, os que serão capaz de o fazer.
PS.Quanto aos argumentos a que se refere "carros atascados na neve,dinheiro gasto em limpa neves,lixo nas bermas",nao falando do ordenamento do transito por parte da GNR sim que o sr. mostrou algum desconhecimento sobre o assunto,informo-o que a GNR esta cá para nos servir e tem como seu lema "PELA LEI E PELA GREI"não carecendo de mais verbas para comprir o serviço,o resto são postos de trabalho que se podem criar.
Com os melhores cumprimentos deste UNHAENSE

ljma disse...

UNHAENSE, viva!
1.
Em princípio, respondo a todos os comentários de pessoas que não concordam comigo. A menos que tenha a clara noção que o objectivo do comentador não é trocar argumentos, mas apenas adjectivos (e alguns mais para o insultuoso). Por isso é que achei que devia justificar a não resposta ao seu comentário
2.
Tem toda a razão, UNHAENSE: eu sou, de facto, contra todas as estradas para a Torre. Já várias vezes tentei mostrar como poderíamos ter aqui na serra da Estrela um turismo mais lucrativo (para todos, atenção) e mais parecido com o turismo que se encontra em todas as outras montanhas da Europa (até no Gerês) se não tivéssemos nos últimos quarenta anos apostado neste turismo de ver a neve na Torre. Podíamos ter a serra cheia de turistas no Verão, como acontece no Gerês. Turistas que ficassem vários dias ou até algumas semanas. Com esta fixação no turista que passa de carro a caminho da Torre de manhã, passa de carro a caminho de casa à tarde, temos apenas enchentes e lixo. Sou contra as estradas que existem, mas as que já existem, já existem. Não defendo agora que se encerrem no imediato. Mas que não se abram ainda mais, caramba!
3.
Serão apenas 10% os que andam a cavalo? Admitamos que sim. Mas esses 10% pagarão pelo que estão a fazer, ao passo que a emagadoria maioria dos 90% que passam a caminho da Torre de manhã e a caminho de casa à tarde, pagam por quê? UNHAENSE, experimente visitar o Gerês (para não ir mais longe) em Agosto, para ver a procura que os passeios a cavalo têm, bem como a oferta que existe. O UHAENSE prefere um turismo de multidões que não tem dado quase nada a ganhar a quase ninguém, ou um outro, com menos turistas é certo, mas que gera muito mais lucros e muito melhor repartidos?
4.
Quais as maiores valias para a bela vila de UNHAIS DA SERRA estando a estrada nas condições em que se encontra? Já lhe disse: Unhais da Serra tem uma localização soberba para o turismo de natureza. Basta aproveitá-la. E com a estrada asfaltada? Transformam Unhais da Serra numa passagem para a Torre. Diga-me, UNHAENSE, o melhor a que Unhais da Serra pode aspirar é ser um ponto de passsagem para a Torre? Eu não acredito nisso. Mas se é nisso que os unhaenses apostarem, é nisso que transformarão Unhais. Não foi o que aconteceu com o Sabugueiro?
5.
Sem dúvida que mostro o meu desconhecimento sobre o assunto da GNR. Multipliquemos os acessos ao maciço central, o número de quilómetros onde os turistas tentarão parar os seus carros haja ou não lugar para parar, o número de quilómetros a intervencionar pelo centro de limpeza de neve e a desimpedir de cada vez que houver um deslizamento de pedras. Podemos perfeitamente encarreirar por esta multiplicação das necessidades de ordenamento porque ela não se vai traduzir em maiores custos. Aos nossos homens das forças da ordem bastará gritar com mais entusiasmo "PELA LEI E PELA GREI" para dar conta do cada vez mais difícil recado. E, para além disso, as estradas nem precisam de manutenção e, quando precisam, ela é gratuita. É isso que quer dizer, UNHAENSE? Tem razão, eu mostro o meu desconhecimento.
6.
Fala em postos de trabalho a criar na GNR? Para aqueles trinta dias anuais de enchente? Mas isso depende da conjuntura nacional, tal como ela é vista do ministério. E, em tempo de crise, as respostas dos governos tem sido, muitas vezes, a de congelar as contratações.
Mas porque não fala antes em criar um turismo de montanha a sério, como o que existe nas outras montanhas (incluindo, repito, o Gerês). Poderia assim criar ainda mais postos de trabalho, como guias de passeios pedestres, como lojas de aluguer de bicicletas, como monitores de escalada, como taxistas (imagine: uma família de turistas vai a pé de Unhais até Alvoco, mas não tem vontade de regressar a pé: não há problema, combinaram consigo uma hora para os lá ir "pescar" de carro.) Tantos empregos se poderiam gerar assim! Mostrando aos forasteiros as maravilhas da nossa serra, em vez de as estragarmos, em vez de as banalizarmos, entregando-as gratuitamente, sem gosto nem maravilha, a uns visitantes apressados que nem as vêm, tão cegos que estão em chegar à Torre, ver a neve!

Saudações cordiais.

PS: vou repetir ainda mais uma vez. Bem sei que aqui na serra da Estrela, quando se fala de turismo, se fala de gente em carros, subindo a té à torre, brincando um pouco na neve, e regressando a casa à tarde. Gostava de deixar isto que vou dizer muito claro: isso não é turismo de montanha, esse turismo não existe nas outras montanhas ou, pelo menos, não tem a importância que se lhe dá aqui. Visite-se o Gerês, visitem-se os Pirinéus, visitem-se os Alpes, visitem-se os Picos da Europa, visitem-se as Terras Altas da Escócia, a sierra de Gredos, o Jura, os montes eslovenos, os Cárpatos, o Atlas (em África). Duvido que em mais alguma montanha do mundo se veja o turismo reduzido à pobre tristeza que nós aqui temos. Chega de pensar nestes pobres e tristes termos o turismo na serra da Estrela! Este turismo não nos serve, só nos prejudica. Mais do mesmo em Unhais não servirá Unhais, só prejudicará Unhais. Esta é a minha opinião.

ljma disse...

A "Pérola da Beira não podera desenvolver nem ter o avanço necessário sem este complemento"? UNHAENSE, a Pérola da Beira está a ter um enorme desenvolvimento e a avançar resolutamente, como seria impensável há alguns anos. E para isto não foi nada necessária a asfaltação, já viu? E olhe, estradas como as que quer para Unhais têm-se rasgado aos molhos pela serra. Veja por exemplo o caso de Loriga (com a estrada de S. Bento, inaugurada há dois ou três anos) ou de S. Romão (com a estrada para o Coxaril, uns quatro quilómetros abaixo da Lagoa Comprida). Quanto é que essas localidades se desenvolveram com as respectivas estradas? Nada. Que avanço tiveram? Nenhum. E note que a estrada de S. Romão para o Coxaril (um pouco abaixo da Lagoa Comprida) já deve ter uns bons vinte anos de asfalto! Alguns frutos já devia ter produzido, caramba...

Com as estradas que já temos já há alturas em que o trânsito fica completamente atascado na zona da torre. E o UNHAENSE ainda quer que mais gente chegue à Torre? Mas o que eu não consigo perceber é o que ganha o UNHAENSE, o que ganha Unhais, com mais gente a chegar de carro à Torre. Mesmo que lá cheguem pela sua estrada, o que é que ganha com isso?

Onde se instalaram as unidades hoteleiras mais sofisticadas da serra? Em sítios onde ainda não há estrada directa para o alto: na Lapa dos Dinheiros (Casa da Lapa Mourisca) e, agora, em Unhais. Este facto, juntamente com a ausência de progresso em Loriga e em S. Romão (e ainda uma análise cuidada do "progresso" do Sabugueiro) não lhe dá que pensar, UNHAENSE?

Anónimo disse...

de um ''Unhaense'' para o ''UNHAENSE''!!

EU TAMBÉM SOU UNHAENSE MAS QUEM É ESTE SENHOR ''UNHAENSE'' QUE VEM PARA AQUI FALAR DE UMA MANEIRA QUE PARECE QUE FALA POR TODOS OS UNHAENSES E QUE A VILA E TODO O TERRENHO QUE PERTENCE Á FREGUESEIA SÃO COMO QUE UM FEUDO DE SUA PERTENÇA???

FALE POR SÍ!! E NÃO POR NÓS!!!

E JA AGORA NÃO NOS ENVERGONHE COM A SUA FALTA DE EDUCAÇÃO E ARROGANCIA COM TIQUES DE ABSOLUTISTA!!
EXPONHA AS SUAS IDEIAS DE FORMA MAIS EDUCADA!

EM COMUM A ORIGEM E AS RAIZES DA NOSSA BELA VILA AGORA QUANTO AO RESTO (O QUE DIZ E COMO O DIZ) NÃO ME IDENTIFICO NADA COM ESTA TRISTE PERSONAGEM FILHA DA TERRA...!!!

COMO UNHAENSE NÃO ME COLOQUE NO MESMO ''SACO'' ONDE VOCÊ ESTÁ!!! NÃO ME OBRIGUE A COMUNGAR DAS SUAS OPINIÕES E PONTOS DE VISTA... QUANDO DIZ OS UNHAENSES!!!

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!