segunda-feira, junho 18, 2007

Quando os barcos se Afundam!

Hoje, 19/06/07, o Diario XXI publica uma noticia com declarações de Artur Costa Pais em reacção às declarações de Carlos Pinto! Isto faz-me lembrar as Caravelas quando se afundavam: cada homem por si e os ratos são os primeiros a abandonar o navio!
Carlos Pinto sacode a água do capote pensando que desviava as atenções, e diz que das irregularidades investigadas pelo IGAT, 63 estão relacionadas com os chalés das Penhas da Saúde! Irónicamente, põem a nu aquilo que apenas alguns sabiam: a estratégia de acto consumado da Turistrela! Construir sem autorização, pagar os autos e confiar na eficácia dos serviços Camarários Portugueses para lucrar no final! Carlos Pinto refere também que tais irregularidades foram herdadas do anterior executivo e que lhe coube a ele resolver a situação! Ora como foi referido aqui no CZ e como muita gente sabia, na altura da herança de Carlos Pinto apenas existiam cerca de uma duzia de chalés nas Penhas em frente ao Hotel Serra da Estrela!
Ora, Carlos Pinto sobre esses 12 Cháles tem a dizer o seguinte:
"O que íamos fazer? Deitar tudo abaixo?"
Pois, isto seria uma hipótese...ainda assim podiamos simpatizar com o "drama" que estava sob decisão de Carlos Pinto e concordar com os 12 chalés. Mas, caros amigos, hoje não encontramos 12 mas sim 63 CHALÉS que estiveram ilegais até há bem pouco tempo! Carlos Pinto aprovou a construção de 51 Chalés antes de estes estarem legalizados! Ou seja, mais de 75% das irregularidades são da responsabilidade do edil Carlos Pinto! Será que o executivo não tem capacidade para manter a ordem no seu território? Ou simplesmente nã está interessado? A estratégia será, construa-se antes e legalize-se depois o que já esta´feito!
Na minha opinião, é evidente que se devia ter deitado abaixo os 12 Chalés iniciais que estavam ilegais. Era uma questão de igualdade social!Qual era o problema? Alguem vivia lá? Até são de facil remoção os barracos!! E quantos anexos de agricultores já foram deitados abaixo? Ou quantas extensões a casas já foram negadas? Ou as placas que Loriga colocou na nova estrada, não foram retiradas?
Os chalés das Penhas foram construidos em terrenos de protecção ao Hotel Serra da Estrela. Terrenos reservados para preservar o enquadramenteo deste edificio com história...e agora...que enquadramento têm os turistas que vislumbram as paisagens de dentro deste Hotel? Mais, estes chalés foram cosntruidos em terrenos baldios e em zona de cheia da ribeira de Cortes! Porque é que parece que o IGAT é sempre o último a saber, quando sabe?
Será que por a Camara da Covilhã dizer que determinado processo é legal significa que isto seja ponto assente? Deve o Municipio reger-se pelo que o seu edil considera ser adequado na Lei de ordenamento? Costa Pais diz que "neste momento, está tudo no cumprimento da lei, até porque não há outra forma de estar na vida" (quer dizer que em tempos não esteve!). Esta frase por si só é autoincriminatória, assim com as de Carlos Pinto. Até aqui estes dois parecem esta em unissono!
Tem que deixar de haver de uma vez por todas regras "à la Carte"! Estas tem de estar definidas à partida e ser iguais para todos. Só assim, haverá oportunidades para desenvolvermos a economia local de forma equilibrada.

4 comentários:

FRANCISCO T PAIVA disse...

Caro José Amoreira,
De novo, saúdo as suas palavras corajosas, que julgo motivadas por uma incondicional admiração pela Serra e pela proporcional apreensão face ao seu sistemático saque.
Urge esclarecer qual o "interesse público", que às autarquias incumbe defender. A intervenção cívica pode contrariar o modelo de gestão autárquica vigente, discricionário, autista e refém de interesses particulares, mas cujo ónus recai invariavelmente sobre a qualidade das nossas vidas e sobre o erário.
_
Dia 29, às 18h, debate sobre O Centro da Covilhã na AAUBI

ljma disse...

Francisco, obrigado pelo cumprimento mas, desta vez, é o Tiago Pais a merecê-lo.

Obrigado também pelo convite para o debate. Tentarei estar presente.

FRANCISCO T PAIVA disse...

Peço desculpa ao Tiago Pais pelo equívoco, pois o comentário supra dever-lhe-ia ser dirigido.

FRANCISCO T PAIVA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!