quinta-feira, março 22, 2007

As árvores ornamentais e os cotos informes

Pessoalmente, gosto muito mais de florestas do que de jardins ou de parques. Interessam-me muito mais as árvores em espaços rurais e naturais do que as árvores ornamentais urbanas. Parece-me que estas últimas nem serão assim lá muito assunto do Cântaro Zangado. Mas falou-se ontem, no Diário XXI (veja aqui), das árvores ornamentais e das podas catastróficas (rolagens) a que são sujeitas em todo o país, e eu quero meter a minha colherada.
O Pedro N. T. Santos do Sombra Verde tem mostrado muitas árvores e algumas rolagens, na Covilhã e noutras localidades. Num post de ontem, este "caçador de árvores" disse que nem vale apena plantá-las, se é para alguns anos mais tarde as decepar miseravelmente. Eu concordo inteiramente com ele. É difícil não concordar. A fotografia que ilustra este post mostra duas tílias do Bairro do Rodrigo, na Covilhã (pode admirá-las com folhas aqui). Repare no pequeno coto informe, à esquerda. Qual é o valor ornamental "daquilo"? Quando é que, e por que magia, será o valor ornamental "daquilo" comparável com o do espectacular exemplar ao centro, que se impõe naturalmente como o objecto da fotografia?

Já que estou em maré de perguntas, eis a que mais me incomoda: quando chegará a vez desta magnífica árvore ser também vítima de um "trabalho bem feito", como chama às rolagens o sr. presidente da Junta de Freguesia de S. Martinho (responsável por misérias semelhantes noutra zona da Covilhã)?

1 comentário:

Pedro n. t. santos disse...

Partilho a angústia: até quando nos será dado o prazer de ver esta árvore em todo o seu esplendor?

E, obrigado pela solidariedade,claro!

Abraço

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!