quarta-feira, dezembro 06, 2006

Carta Europeia para o Turismo Sustentável

Na mesma brochura a que me referi no post anterior, aparece uma referência à Carta Europeia para o Turismo Sustentável. Infelizmente, uma pesquisa rápida não me levou a lado nenhum, por isso não sei ao certo do que consta este documento oficial elaborado pela Fundação Europarc. Mas os pontos principais estão enumerados na brochura e reproduzo-os aqui
  1. Respeitar os limites da capacidade de acolhimento
  2. Contribuir para a conservação e melhoramento do património
  3. Preservar os recursos naturais
  4. Apoiar a economia local
  5. Promover a participação dos residentes locais
  6. Desenvolver um turismo adequado de alta qualidade
  7. Tornar as zonas protegidas acessíveis a todos
  8. Desenvolver novas formas de emprego
  9. Incentivar comportamentos que respeitem o ambiente
  10. Servir de modelo para outros sectores económicos e influenciar as suas práticas
Eu podia perguntar o que é que nas opções que se estão a tomar para o desenvolvimento do turismo na Serra da Estrela vai ao encontro de qualquer um destes pontos. Mas não; gostava mesmo de saber é se há algum detalhe, nas opções que se estão a tomar para o desenvolvimento do turismo na Serra da Estrela, que não vá contra algum destes pontos. Gostava de dirigir esta pergunta ao Presidente da Região de Turismo da Serra da Estrela, Sr. Jorge Patrão; ao administrador e proprietário da Turistrela, Sr. Artur Costa Pais; aos diversos autarcas da região, especialmente ao Presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Sr. Carlos Pinto. Destaco este autarca porque ele é também (ou era até há pouco tempo, posso não estar actualizado) o Presidente da Secção "Montanha" da Associação Nacional de Municípios Portugueses e o Secretário Geral da European Association of Elected Representatives from Mountain Areas, e ainda por ser o autarca mais empenhado neste triste rumo para o desenvolvimento do turismo na Serra da Estrela.

2 comentários:

Pereira disse...

Na verdade o 6. ponto parece estar a ser levado à letra... com uma interpretação muito própria... Há pessoas que seguem um prontuário diferente, o conceito de "turismo adequado" parce ser, nesta altura o turimo de predação, multidões e consumo desenfreado. O conceito de "alta qualidade" é o distintivo da discriminação económica: onde se lê "alta qualidade", deve lêr-se "para os económicamente mais abastados"...

ljma disse...

Pereira, se analisarmos de perto a realidade dos investimentos feitos até agora na Serra da Estrela, se formos ao detalhe, se olharmos para o que não fica nas fotografias promocionais (sempre cuidadosamente enquadradas para esconder as vergonhas) concluímos facilmente que o que se está a fazer aqui, tal como o que se fez em (quase) todo o Algarve, não tem nada que ver com turismo de qualidade, seja como for que definamos qualidade. É caro? Concerteza, mas isso é outra coisa. Exactamente por essa ser outra coisa, os "económicamente mais abastados" vão esquiar para Aspen, para os Alpes, para os Pirinéus ou para Serra Nevada, onde, com o que pagam, compram essa qualidade especial que os atrai, essa discriminação que desejam, e que não encontrarão na Serra.

Vem a propósito referir aqui um desabafo que ouvi de um esquiador que hoje em dia é uma personalidade nacional muitíssimo importante, quando, há uns 15 anos, era muitíssimo menos importante. Num bar de hotel em Andorra, disse esse senhor que viria a tornar-se muito importante: "Andorra... Bah, está cheia com o Zé Povinho francês..." É a este desejo de discriminação, implicito neste desabafo, que te referias, não é Pereira? Bom, para alguns (como este senhor agora importante), isso não se consegue nem em Andorra, quanto mais na Serra da Estrela...

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!