terça-feira, outubro 31, 2006

Tudo vale a pena?

Na interessante cavaqueira com que ocupei este fim de semana (a que me referi antes de ontem), ouvi um representante de uma organização nacional de estudos da fauna dizer que, no que se refere a programas de protecção de aves em risco, a Serra da Estrela é considerada, em geral, como um "caso perdido". Isto, porque vistos os limitados meios de que as organizações ambientalistas dispõem, todo o cuidado é pouco quanto aos investimentos que fazem; compreende-se que os concentrem onde houver algumas esperanças de sucesso. Os factores que põem em risco a fauna da Serra da Estrela não estão a ser contrariados, antes pelo contrário, logo, tentar actuar aqui na protecção das espécies é estar a desperdiçar tempo, energia e dinheiro.
Este facto, o de a Serra ser considerada por muitos um "caso perdido" para a protecção das espécies, deveria, só por si, ser seriamente considerado por todos os responsáveis: os do Parque Natural (desde o vigilante mais humilde ao secretário de estado), os autarcas, os da Região de Turismo, os da Acção Integrada de Base Territorial da Serra da Estrela, os da Turistrela. E deveria ser ainda melhor considerado por todos nós, que, pelo nosso silêncio e pelos nossos votos, vamos alimentando esta situação aberrante, que se vem agravando há décadas.
Mas eu não acho que a Serra seja um caso perdido. Talvez por eu não ser, parece-me, um ambientalista. Eu, simplesmente, gosto da Serra. Também gosto de outras serras, claro, mas é ao pé desta que moro. Ou seja, não tenho locais mais adequados onde gastar o meu tempo, a minha energia, o meu dinheiro.
E vai daí, talvez a Serra seja mesmo um caso perdido. Mas a alternativa de, simplesmente, desistir é terrível de mais. Pegando no que dizia o outro, tudo vale a pena, quando já não nos restam nem ilusões credíveis nem alternativas viáveis...

1 comentário:

João disse...

...exemplar caro José, esse é verdadeiramente o sentimento que se tem feito realmente notar ao longo destes anos, talvez seja mesmo um caso perdido, mas como disse e bem, moramos junto a ela...e por ela o silêncio não pode efectivamente ser a única resposta, não sou ambientalista, nem a minha formação me permite considerações de cariz mais técnico, mas considero que sou lúcido e objectivo nesta paixão, "a Serra" é viável como Serra da Estrela, foi o abandono de todos que a feriu, pois na generalidade achamos e mal, que a sua parte mais volúvel e efémera com que já cada vez menos somos presenteados, é o seu encanto...a Estrela não é mulher de uma noite, é de uma vida

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!