sexta-feira, setembro 08, 2006

Afinal qual é o 1º?

No passado dia 28 de Agosto encontrei uma noticia sobre o “1º Encontro FreeRide Covilhã” organizado pela Estrela Radical com data marcada para sábado dia 9 de Setembro. Hoje entrei no renovado site da empresa concessionária do turismo na Serra da Estrela e qual não é o meu espanto quando vejo que anunciam o “1º FreeRide Camp by Vodafone BikePark” a realizar nos dias 9/10 de Setembro!!

Afinal qual é o primeiro??

Eu sei que isto dos anglicanismos deu polémica num post anterior a propósito da construção do bike park mas será que num “FreeRide Camp” os biciclistas não se “encontram”? Então um “FreeRide Camp” não é um encontro de “FreeRiders”? Primazias à parte posso informar-vos que o “Encontro” vai ter descidas que se iniciam na Varanda dos Carcajais e Sanatório e terminam perto da Covilhã e as inscrições são grátis, mesmo grátis. O “Camp” vai ter descidas que se iniciam no topo das pistas de ski e terminam 100 metros mais abaixo e as inscrições são grátis, mas não gratuitas. Ou seja, os participantes tem apenas de pagar 20€/dia pelo passe que permite a utilização da telecadeira que os transporta de novo para o inicio da descida. Posto isto, chego à conclusão que num “Encontro FreeRide” as coisas grátis são mesmo grátis, as descidas são maiores e o evento decorre num parque natural enquanto que num “FreeRide Camp” o grátis não é de borla, o ambiente é descontraído e o evento decorre num parque artificial. Mas volto a dizer, o que eu gostava mesmo de saber é qual é o 1º?

8 comentários:

Rui Peixeiro disse...

Não sei qual foi o 1º a aparecer organizado... o Freeride da Estrela Radical há muito que já vem sendo organizado. Talvez até possa ser somente uma coincidencia...

Não sendo a modalidade que mais gosto eu vou participar num dos dois, e aivinhem qual!!! No organizado pela Estrela Radical...
É gratuito, vamos ter transporte para cima, um lanche, pistas inseridas no ambiente da nossa bela Serra mas que não a estragam, com direito a sombras pela pista fora, ciosa que no ambiente mais "agreste" da Torre não existe, ...
Ainda haverá razões para ir ao da Turistrela???

TPais disse...

Olá Rui, fiquei satisfeito ao ler o seu comentário e perceber que a mensagem que eu pretendia passar nas entre linhas tinha sido compreendida. A verdade é que as coincidências existem mas aqui tenho muitas dúvidas, especialmente quando o evento é anúnciado em cima da hora aliás à semelhança de uma série de eventos organisados anteriormente pela empresa concessionária do turismo na Serra onde tudo parece organisado em cima do joelho. Creio mesmo, que o objectivo é apenas a publicidade e marcação de calendário. E por falar na prova de FreeRide e no respectivo Parque FreeRide chego mesmo a ter dúvidas da legalidade de tal actividade!!?É que de facto, a Turistrela deverá ter apenas licensa para promover a prática do ski naquele local e não qualquer outra! Isto é o que gostaria de saber

ljma disse...

Não é uma questão de ordenação temporal, mas antes de ordenação espacial. Assim, para quem vem do sudeste pela Covilhã, o primeiro é o da Estrela Radical; para quem vem do noroeste, por Seia, o primeiro é o da Turistrela. Acho que deve ser isso, pá...

Cova Juliana disse...

Como membro do clube de praticantes Estrela Radical e assíduo leitor deste magnifico blog, sinto-me na obrigação de explicar um pouco qual o 1º evento Freeride…
Após a edição 2006 do Covilhã Downtown, cuja organização local coube ao nosso clube, foram agendadas mais um conjunto de actividades relacionadas com BTT e que pretendíamos levar a efeito, entre as quais o agora denominado 1º Encontro Freeride.
O mesmo, foi agendado para o inicio de Setembro com vista a que os praticantes que tinham ido de férias já estivessem de novo pela Covilhã.
Há cerca de uns 15 dias tivemos conhecimento de uns Freeride Camps que a empresa Turistrela pretendia levar a efeito no seu (e também nosso) BikePark. É obvio que não iríamos alterar a data que já tinha sido avançada através do nosso site (www.estrelaradical.com) e também enviada via newsletter para os elementos da nossa base de dados.
Já nos dias mais próximos do evento fomos “convidados” a ir com os nossos participantes para o local do Freeride Camp na Torre, que como é obvio não aceitamos uma vez que já tínhamos tudo agendado e organizado.
Assim sendo o que se verificou neste fim de semana é que houve duas actividades do mesmo género, mas nem tanto…
Para finalizar gostaria apenas de referir: numa zona do país em que nada havia até à bem pouco tempo atrás, parece-me algo ridículo sobrepor eventos que às vezes só servem para induzir em erro as pessoas interessadas! Ou será para oferecer concorrência para que os “riders” possam escolher a qual ir?

Em relação a qual é o 1º?... Quem foi o primeiro… o ovo ou a galinha ;)

Ps: acho que mais esclarecimentos já foram dados por coments anteriores e pelo ultimo paragrafo do post…

TPais disse...

Olá Cova Juliana, bem vindo/a(?) ao cântaro zangado! Antes de mais agradeço os esclarecimentos prestados, os quais confirmaram as minhas suspeitas. Partilho a sua opinião: é ridiculo haver dois eventos na mesma data. Para mim, se houvesse interesse genuino por parte da Turistrela em desenvolver esta actividade de uma forma não monopolista, concerteza que já teriam sido encetadas conversações com um clube como o vosso para potenciar a modalidade. Só assim se garante o crescimento saúdavel de uma actividade de ar livre com praticantes assiduos e não turistas que compram pacotes de ferias instantaneas condensadas em "parques radicais".
Peço desculpa, mas não entendi o que queria dizer quando disse "(e também nosso)Bike park."? Será que se diz "nosso" com o significado de que "é de todos"?
Para finalizar, devo dizer que não tenho dúvidas qual é o primeiro, pois penso que o da estrela radical é o único onde se vai praticar de facto a modalidade de Free Ride como eu a concebo!

Anónimo disse...

È extremamente incrivel o fetiche que tens por o Artur Costa Pais, amigo tem juizo pá..Já não tens idades para essas merdas.

Por incrivel que pareça dás sempre de frente com ele e comigo mas nunca abres o pio, e ainda por cima mandas bolachas para o ar. olha que quem tem telhados de vidros, vê lá vê, :) ès uma bela duma anedota, é que por incrivel que pareça nem vós gostam da serra, são tão ecologicos e andam de carro na rua!???

Até podias ter muita classe e tens, mas falas demais para o que sabes e fazes.

Tem juizo pá,

ljma disse...

Pá (devolvo a familiaridade no tratamento), não sei a quem te estás a dirigir, se a mim, José Amoreira, o tradicional autor do Cântaro Zangado, se ao autor deste post em particular, TPais. Vou supôr que é a mim.
Não sei quem és, nem o que queres dizer, mas parece-me, pelo que escreves, que não partilhas da minha opinião sobre o que se anda a fazer na Serra. OK, tudo bem, é normal, ainda bem que não pensamos todos da mesma maneira.
Uma vez que dizes que eu dou "sempre" de frente com o Artur Costa Pais e contigo, e como eu não costumo (tanto quanto sei) cruzar-me com ele, suponho que queres dizer, com essa expressão, que o critico frequentemente. É verdade. Quem mais é que eu critico frequentemente? Jorge Patrão e Carlos Pinto. És tu um destes dois? Sejas quem fores, estás desde já convidado a participar mais frequentemente no Cântaro, revelando ou não a tua identidade. Devo, no entanto, pedir-te que elabores mais explicitamente o teu raciocínio para que toda a gente entenda bem o que queres dizer. Terei o maior prazer em discutir contigo, quando souber ao certo do que estamos a falar.
Obrigado pela participação, volta sempre!

PS: quanto a fetiches, tens razão, não tenho idade para eles. Nem os tenho.

TPais disse...

Estive mesmo para nem ligar ao comentário do caríssimo "anónimo" tal era a ausência de conteúdo e total irrelevância do texto aqui apresentado, no entanto achei que havia necessidade para esclarecer algumas questões que o "anónimo" tem na sua mente, nomeadamente:
1- eu sou o co-autor convidado deste blog, Tiago, e sou também o único responsável pelo conteúdo do texto intitulado "Afinal quem é o 1º?", como pode ser coonfirmado pela assinatura no final do mesmo.
2- a definição de ecológico não passa por eliminar todo e qualquer impacto que o ser humano possa ter na Natureza, pois dessa forma teríamos de deixar de respirar, alimentar e, basicamente, de existir. Não, não é isso! O comportamento ecológico reside de facto na redução dos impactos por nós provocados até ao nível da sustentabilidade, ou seja, de forma a que a Natureza os consiga suportar sem alterar o seu equilíbrio.
3-Em consonância com o número 2, esclareço que 80% das minhas deslocações são feitas num veiculo não poluente, a bicicleta!O caro anónimo pode dizer o mesmo?Ficaria feliz se pudesse.
4-Em consonância com os numeros 2 e 3,mais esclareço, que se 50% da população tivesse um comportamento ecológico como este, os problemas de aquecimento global, poluição das águas, esgotamento das fontes de energia etc, seriam apenas uma preocupação e não uma realidade.

Espero ter sido suficientemente claro.

Para terminar gostaria de agradecer ao anónimo a sua participação bem como o seu elogio, "Até podias ter muita classe e tens", e assegurar que só falo do que sei e sei do que falo.
Até breve

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!