quinta-feira, maio 11, 2006

Ai, ai, a bela vista da Torre...

O blogue amigo Cortes do Meio, chamou-me a atenção para esta notícia do Jornal de Notícias on line:

Região de Turismorecebe torres da Força Aérea

Luís Martins
O Governo oficializou, ontem, a entrega das torres dos antigos radares da Força Aérea, na Torre, para a tutela da Região de Turismo da Serra da Estrela (RTSE). A decisão é transitória, até à conclusão do processo de desafectação do domínio público militar do s dois imóveis, um dos quais está muito degradado. O outro serve de posto sazonal da GNR.
"Estou satisfeito por ter finalmente conquistado uma aspiração com algumas décadas", admitiu Jorge Patrão. O presidente da RTSE revela que o objectivo é integrar as duas torres, o edifício da antiga messe e algumas oficinas em ruínas na nova unidade hoteleira de quatro estrelas, com restaurante panorâmico para as pistas, que a Turistrela, concessionária do turismo na Estrela, pretende construir. Uma intervenção a realizar no âmbito do projecto global de valorização da estância de esqui.
Os radares poderão ser utilizados como posto de informação aos turistas ou "observatório panorâmico", sugere Jorge Patrão. "Como são os edifícios mais altos do país, proporcionariam uma visão geográfica excelente de mais de metade do território nacional", garante o empresário.
Recorde-se que a equipa responsável pelo Plano Estratégico de Turismo na Serra da Estrela (PETUR) já tinha sugerido uma remodelação da zona, que classificou como um local "desprezível e sujo".
(http://jn.sapo.pt/2006/05/10/centro/regiao_turismorecebe_torres_forca_ae.html)
Não posso estar mais de acordo com a opinião da equipa responsável pelo PETUR: aquilo é mesmo desprezível, aquilo é mesmo sujo. Onde talvez comecemos a discordar (não sei ao certo o que eles pensam) é que esses adjectivos não se limitam aos cinquenta metros em redor do Malhão da Torre, descrevem bem toda a zona da estância, descrevem bem a própria estância.
Passando para um registo mais irónico, concordo também com Jorge Patrão: do alto dos mamarrachos da Torre tem-se uma panorâmica fenomenal, vê-se mais de metade do território nacional. Pois bem, pensando nos que vêm para a Serra para admirarem ainda mais do que "mais de metade do território nacional", lanço aqui um desafio: porque não aumentar, ainda mais, a altura dos mamarrachos, na "recuperação" que se projecta? Nos vinte andares de baixo podíamos instalar quartos que dotariam o hotel de uma capacidade à altura da altitude local (2000 quartos, pelo menos!), ou um centro comercial para a venda de queijos da serra, forfaits e material de esqui e (porque não?) para alugar sacos de plástico. Como se trata de um "observatório panorâmico" (o que não hão-de inventar...) podiamos dar ao complexo o nome "Hotel dos Panorâmicos Mamarrachos".
Nesta notícia, mais uma vez, vemos Jorge Patrão a falar na qualidade de relações públicas da Turistrela: aqui está uma grande conquista nossa, pela qual lutámos durante algumas décadas, que vai permitir concretizar este nosso projecto, de restaurante sobre a estância, e tal, observatório panorâmico, e tal, um hotel de 4 estrelas, e tal, e tal. Este "vestir da camisola" acontece tão frequentemente, que se desculpa a confusão do jornalista, no final do penúltimo parágrafo, em que classifica Jorge Patrão, o presidente do organismo público Região de Turismo da Serra da Estrela, como "empresário"...

2 comentários:

Blog Cortes do Meio disse...

Caro José,

Ao que parece, saiu o Euromilhões à Turistrela, pelo menos, é o que eles dizem...

LUÍS PATRÃO «DEIXA» JOSÉ SÓCRATES

Novo patrão do Turismo quer recuperar Sanatório
O PROCESSO do Sanatório poderá ganhar nova dinâmica com a liderança de Luís Patrão no turismo nacional. Natural da Covilhã, Luís Patrão vai deixar, segunda- -feira, 15, a chefia do gabinete do primeiro-ministro e, no mesmo dia, irá liderar o Instituto de Turismo de Portugal, a Direcção- -Geral do Turismo e o Instituto de Formação do Turismo, no âmbito de uma fusão das três instituições. Por inerência, presidirá, ainda, à assembleia geral da Turistrela, sendo, de resto, o primeiro covilhanense a assumir aquele cargo na empresa cujo conselho de administração é formado por Paulo Ramos (presidente), Manuela Costa Pais e Artur Costa Pais. Em declarações ao “JF”, Luís Patrão disse estar seriamente interessado em desenvolver o turismo da Serra da Estrela, com quem tem uma “proximidade” pessoal e familiar. Sobre o futuro do Sanatório, admitiu que se trata de “um caso que merecerá toda a minha atenção, quer ao nível da recuperação do imóvel, quer no estudo das formas mais apropriadas para a sua transformação numa unidade turística”. Ligado ao poder central há vários anos, como chefe de gabinete dos primeiros-ministros António Guterres e José Sócrates e como secretário de Estado da Administração Interna, Luís Patrão dedicou sempre especial atenção às questões da sua região e, no caso do Sanatório, esteve envolvido no processo, designadamente de escolha e entrega do projecto ao prestigiado arquitecto Souto Moura.

“À Turistrela e à serra saiu o euromilhões” disse Artur Costa Pais ao “JF”, a propósito da nomeação de Luís Patrão para o turismo.

In: Jornal do Fundão de 11-05-2006


É o triângulo perfeito:

- Luis Patrão, Instituto de Turismo de Portugal e Assembleia Geral da Turistrela (será compatível?).
- Jorge Patrão (o mano e empresário segundo o JN) na Região de Turismo da Serra da Estrela.
- Turistrela, essa bela empresa concessionária do Turismo

Se lhes saiu o EUROMILHÔES, eles lá saberão o porquê.

Cumprimentos.

ljma disse...

Pois, pois, e nós (ingénuos...) que pensávamos que Máfia da Cova era somente o nome de um blog cá do burgo, hem?

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!