sábado, março 21, 2009

Também não percebo

A caminho de Lisboa pela A1, perto de 1000m antes da saída para o Carregado, no meio de linhas de alta, média e baixa tensão, entre estradas e estradinhas, entre casas, casinhas, oficinas, lojas, fábricas e armazéns, com o ruído e o cheiro da autoestrada sobrepondo-se a mais um milhão de ruídos e cheiros, encontra-se um poste com uma antena para telecomunicações móveis, alimentado com um grande painel fotovoltaico.

Na serra da Estrela, perto dos Piornos, entre giestas, urzes e penedos, num silêncio cortado apenas pelo assobiar do vento e pelos balidos e chocalhos de um ou outro ocasional rebanho, instalou-se há cerca de ano e meio um destes postes de telecomunicações, mas este é alimentado por um gerador a diesel. Outro ainda, situado alguns quilómetros abaixo da Lagoa Comprida perto da estrada nacional, é alimentado por uma linha aérea, destas suportadas por postes.

Que paisagens e que ambientes mostramos querer proteger com estas opções?

3 comentários:

Caetano disse...

Devem achar que no Inverno não há sol... :)

ljma disse...

:)

Mas, nesse caso, considerarão que no Carregado não há Inverno?

Caetano disse...

Se não há sol na Estrela, para algum lado ele há de ir... :P

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!