quinta-feira, novembro 30, 2006

"Estamos reféns de dois ou três técnicos"

Este é o título com que o Jornal do Fundão encabeça o seu artigo sobre as declarações de Artur Costa Pais (administrador e principal accionista da Turistrela) que referi há dias aqui e nos três posts seguintes. Que eu tenha notado, a notícia foi tratada pelo Diário XXI, pelo Kaminhos e pelo as beiras online. Terminei este post afirmando que tinha curiosidade em saber como trataria o Jornal do Fundão este assunto. Aquilo que eu imaginava confirmou-se: o Jornal do Fundão, supostamente um jornal de referência para a imprensa regional de todo o país, aquele que, em tempos, era o jornal português mais lido em Paris, logo a seguir ao A Bola,
  • usa como título uma frase bombástica de Artur Costa Pais;
  • ilustra o seu artigo com uma imagem da estância de esqui coberta de neve, apesar de não haver neve nenhuma na Serra (eu sei, que ainda hoje a atravessei duas vezes);
  • Num artigo em três colunas, cerca de mil e oitocentos caracteres, em que explica muito bem a posição da Turistrela, citando muitas vezes as palavras de Artur Costa Pais, o espaço que reserva para a posição do PNSE resume-se a
    As queixas da Turistrela não são de agora mas o PNSE, nestas circunstâncias, sustenta que se limita a cumprir o que a legislação em vigor determina.
Pode ler o artigo clicando na imagem para a ampliar. Porque não nos limitamos a ler o Jornal do Fundão, sabemos que a frase do título continua. Apesar de não ser conveniente para Artur Costa Pais, a frase completa deveria ser "Estamos reféns de dois ou três técnicos, que insistem em cumprir as suas obrigações profissionais." É que a lei existe para não ficarmos, todos, tão reféns de forças como a Turistrela, como o Jornal do Fundão parece estar.
Sou, há muitos, muitos anos, assinante do JF. Recebi há dias a carta com o pedido do pagamento para a renovação da assinatura. Deitei-a para o lixo. Esta "notícia" só veio reforçar, a posteriori, a convicção com que o fiz.

5 comentários:

Cova Juliana disse...

Tive exactamente a mesma sensação ao ler este artigo.
Enfim...
QQ dia tambem deixo de ser assinante deste pasquim

Vympell disse...

Falta isto também: "Fernando Matos recorda até que, em 2002, foi criada "uma comissão de acompanhamento dos processos de beneficiação da Estância de Esqui".
A comissão incluía o PNSE e outras autoridades regionais, mas acabou por ser extinta "porque a Turistrela não estava a cumprir" com alguns dos trabalhos previstos, esclarece."(In Kaminhos)

Repito novamente:"(...)porque a Turistrela não estava a cumprir" com alguns dos trabalhos previstos (...)".
Pela boca morre o peixe...

Anónimo disse...

Caros amigos

Estas intervenções dos Costa Pais para mim não são nenhuma novidade, mas no entanto há para ai alguns políticos, autarcasitos, que não deixam de apiriquititar estes tais que até me escuso a pronunciar. É velho, muito velho isto de tentarem da Estrela uns Alpes ou Pirinéus...Enfim, quanto a questão em si!!! Mau, muito mau espero que a vontade firme de um governo ponha fim esta barbárie que se pratica na Estrela a favor de uns poucos oportunistas que explorem sem olhar a meios e a levam sua destruição. Concordo em absoluto com a posição seja ela de quem for que exija naquela área um estudo de impacto nem que seja por uma cavadela, claro que também não sou contra a pratica de sky mas com muito cuidado. A nossa Serra não é, nem jamais será um local de grandes desportos de Inverno, a sua localização confronta fenómenos meteorológicos distintos e com varias influências que num ano podem ser Mediterrânicos noutros continentais e outros ainda atlânticos. É um autentico disparate pensar a serra como um elemento equilibrado em termos meteorológicos quanto mais em termos de pratica de desportos de neve. È caso ainda para aguçar a luta e pedir de forma acalorada…por favor analisem as aguas dos poços de Loriga: Quelhas e Serrano e digam-me quais as consequências da utilização de produtos químicos na elaboração da tal neve artificial…peço carecidamente que alguém me informe. Isto sim é aquilo que me preocupa, desta forma estamos desmesuradamente a hipotecar a qualidade desta Montanha desta região, deste Pais… Temos que acabar com o celebre decreto que redefiniu a Turistrela atropelando todos os Serranos, e … porque não expulsar-mos os Costa Pais e outros tais desta montanha e a devolvermos aos seus legítimos donos e amantes.
È bom saber que o PNSE não está ao lado da Turistrela era bom de uma vez por todas que se coloca-se ao lado das populações como alias era a orientação e fundamento do decreto lei de 1976 que criou esta área protegida, assim seria melhor para a Serra e quem vive nela.
Loriga 30 de Novembro de 2006
Carlos Amaro

ljma disse...

Caro anónimo,
Não se rale com a qualidade da água da lagoa do Covão do Quelhas. Veja este post do Estrela no seu melhor. As linhas de água que escorrem da estância de esqui na direcção de Loriga estão eutrofizadas. Os edifícios da Torre e da estância de esqui não fazem qualquer tratamento das águas residuais. E o mau da fita ainda é o PNSE?! Só se for por ter permitido esta bandalheira tempo demais!!!

Anónimo disse...

Com tantas aberraçoes que estão a inundar a estrela,chalés que mais parecem barracoes,um monte de sucatata temperada com uma dose de falta de intelegencia a que chamem estancia de esqui,agora esventreia-se a serra com estradas e alcatrão,enfim,não sei se devo de chorar ou rir com tanta imcompetencia.Por este andar ainda verei umaa meninas a atacarem na estrada que liga á torre,o cliente só terá que pagar e se quiser fazer uma pequena paragem naqueles barracos a que chamam de chalés...pensando bem,ainda serei eu a abrir este negocio..."damos,neve,comida,carinho,o queijo e muita amor na estrelinha da sua vida" será o slogan do meu futuro projecto na estrela,será mais um entre muitos ridiculos.mais um menos um não fará mal,pois não?! lol lol

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!