sábado, abril 22, 2006

Ele há trilhos e trilhos

A imagem acima mostra indicações para os trilhos pedestres que se cruzam na Portela de Folgosinhao. Estes trilhos são estradas florestais, onde se pode circular com veículos ligeiros, desde que se tenha algum cuidado, ou de jipe, mais à vontade. Mesmo assim, a ideia que temos destes caminhos ainda é a de que eles são trilhos pedonais, e é assim que eles são divulgados pela Junta de Freguesia do Folgosinho (Gouveia), mesmo se permitem a circulação de veículos motorizados. A manutenção desta sinalética (e também dos caminhos) é um esforço que me parece louvável e que acho se deve manter no futuro, nos moldes em que se tem feito até agora.

Em contrapartida, a imagem acima mostra sinalética rodoviária típica, no caminho de acesso de Manteigas para o Poço do Inferno, num entroncamento de duas estradas municipais asfaltadas. Estas estradas não dão acesso a localidades, o asfalto acaba no meio da Serra. O sinal que indica a Serra de Baixo, apresenta um símbolo que parece sugerir caminhadas a pé. O que é que ao certo se quer dizer? Que, alguns quilómetros mais à frente, se pode parar o carro e fazer uma caminhada? Que se pode parar o carro já e caminhar no asfalto? Sei lá! Acho é que toda a encosta do Poço do Inferno teria muito mais interesse para o pedestrianismo e para o turismo de natureza se não estivessem tantas das suas estradas asfaltadas.

6 comentários:

Big Brother disse...

Que engraçado ter aqui descoberto essas placas ! Fiz um passeio a cavalo, no Verão passado , com inicío no "skiparque " de Vale de Amoreira com destino á " Azinha ", onde se encontra uma descolagem de parapente com umas vistas magnificas ... No caminho para lá encontrei um cruzamento q vai dar a Famalicão . Precisamente onde nasce o Assedasse . Bonitas de vêr são as casinhas ( infelizmente já degradadas ) que se encontram nas margens deste ribeiro situado lá no cimo do planalto donde se observa desde a Guarda até às Penhas Douradas , ou no lado oposto , desde os Cântaros até às encostas do Sarzedo... poucos outros sítios terão uma vista tão abrangente da nossa Serra da Estrela ! Para se tirar todo o partido destas paragens recomendasse a caminhada ou , como eu tive o previlégio , o passeio a cavalo .
De "todo terreno " passamos pelas coisas muito de pressa , quase sem as notar , como por exemplo os cheiros das plantas ou a beleza de encontrar trutas num ribeirinho q não chega à cintura , local de desova e maternidade desta espécie .
Terei de voltar por estas paragens , pois já me falaram que descendo o ribeiro encontram-se lugares muito bonitos .

ljma disse...

big brother, o passeio a cavalo de que fala era oferecido ou organizado pela empresa que gere o ski parque? Faço a pergunta porque gostava de saber mais detalhes sobre a empresa. Devo dizer que estou um pouco de pé atrás por causa do nome ("Geração sem limites" mais parece um slogan eleitoral pouco inspirado, inventado numa juventude partidária do centrão) e porque aposta muito em coisas que a mim me irritam, que são as actividades radicais. Aquilo com que enchem o cartaz (ski, bungee-jumping, paintball, etc) pode ser feito na serra tão bem como em qualquer outro sítio...

Big Brother disse...

Olá caro amigo Jose ! O facto de ter feito este passeio a partir do "skiparq" foi alheio a qualquer organização do mesmo . Quando me referi ao mesmo foi no sentido de melhor situar quem lê e não conhece tão bem quanto o meu amigo . É certo que no complexo se pode praticar hipismo , mas creio q só no picadeiro . Quanto à empresa "Geração Sem Limites" , tem como um dos dois sócios o srº António Pereira q também desempenha funções na estância de esqui , creio q a nível da manutenção dos meios mecânicos , o outro é O srº Carlos Rodrigues , um jovem de 30 anos , q é o responsável " in loco " pela organização das actividades . As ditas modalidades radicais dentro do parque e a q mais adeptos tem reunido é o parapente , q segundo os entendidos , tem no alto da Azinha um dos melhores locais do País para a sua pratica .
Pode , inclusive , fazer um baptismo de vôo em parapente bi lugar com um piloto instrutor . Já fiz e recomendo. Poucas actividades dão tal sensação unica de liberdade...
Quanto aos passeios , quero dizer-lhe q pretendo fazer aquele itenerário até Videmonte , desde o ribeiro de Assedasse . Em conversa com um amigo , pescador conhecedor do Mondego há dezenas de anos soube q a juzante do Assedasse existiram em tempos umas minas e umas quintas q mais q perdidas na serra , se perderam no tempo . Histórias bonitas de quem ja tem 70´s e tantos anos e me trás narrativas por ele vividas , como por exemplo de andar à pesca com um amigo e começar a nevar... Para mim , com os meus 31 anos , com um grande amor à nossa Serra , bem como a tudo o q tem a vêr com o passado desperta-me grande curiosidade em visitar estas paragens tão " felizmente" menos conhecidas !
Um abraço !

ljma disse...

Big Brother, fico contente por a "Geração Sem Limites" não encaixar exactamente na triste imagem que eu fazia deles. Ainda bem! Um abraço!

Anónimo disse...

Super color scheme, I like it! Keep up the good work. Thanks for sharing this wonderful site with us.
»

Anónimo disse...

Very pretty site! Keep working. thnx!
»

Algarvear a Serra da Estrela? Não, obrigado!